Velas as belas Velas

Queimam as velas, todas nas salas más,
A presença dos vultos à neblia
e o véu das janelas no olho vivaz,
sombra dormente que a luz ilumina.

Gangrena macabra em meu coração;
presença terrível é tua solidão
nos olhos famintos por dor e por luz,
faz-se assim e ninguém mais traduz.

Sorri de manhã,
foge de mim,
foge assim.

Pisa o céu teu olhar tão carinhoso,
toca o inferno teu sorriso tentador;
tentando, tentando matar meu amor,
tua inocência morta me é penoso.

Vide as estrelas no céu flamejante,
vale em minha alma como diamante,
e acalma minha mente no passo adiante
os olhos belos da menina errante.

Sorri de manhã
foge de mim
foge assim

Um comentário: